jusbrasil.com.br
14 de Agosto de 2022

Como a colaboração entre juízes e advogados pode auxiliar na eficácia e na celeridade da prestação jurisdicional?

Que tal colocar advogados e magistrados na mesma mesa para discutir boas práticas e compartilharem dicas, experiências e desafios do dia a dia? Entenda aqui como celeridade processual, eficiência e empatia andam juntos, acompanhando o novo quadro do Jusbrasil, Conversa com Especialistas.

Blog do Jusbrasil
Publicado por Blog do Jusbrasil
há 2 anos

Advogados e juízes sofrem pressões diárias no exercício da profissão no Brasil. Nosso país, atualmente, enfrenta o fenômeno da super-litigância. Cada vez mais judicializamos conflitos e sofremos com a pressão para apresentar respostas rápidas e eficientes aos cidadãos que procuram, na justiça, uma resolução para seus problemas.

Essa realidade possui três perspectivas: a do advogado, a do juiz, e a do cliente envolvido em uma demanda judicial. O objetivo do Jusbrasil com o quadro Conversa com Especialistas é facilitar o diálogo entre advogados e juízes para que, com o compartilhamento de experiências e boas práticas, possamos contribuir para uma realidade diária do Princípio da Cooperação.

Pensando nisso, convidamos os magistrados Társis Lima (TRF da 1ª Região), Breno Costa (Tribunal de Justiça de Minas Gerais) e Andréa Detoni (Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região) para compartilharem suas visões de cooperação com a advogada Renata Suñé.

Esse diálogo vai acontecer todas as terças-feiras, às 11h00 da manhã, no Instagram e na página do Youtube do Jusbrasil. Os profissionais irão discutir temas como dicas práticas para bom exercício da advocacia, redação estratégica de petições para atingir seus objetivos, e formas de colaboração entre magistratura e advocacia.

Quer saber mais? Continua aqui com a gente para saber como foi esse primeiro encontro!

Respeito, e celeridade processual: como tudo isso se mistura?

Empatia foi a palavra que guiou nossa primeira conversa. É importante que magistrados consigam se colocar no lugar dos advogados a fim de entender suas demandas e vice-versa.

Além disso, é essencial considerar a justiça como uma engrenagem de múltiplos atores: juízes, advogados, clientes, estagiários, servidores. Para que o trabalho flua melhor, é primordial que haja uma comunicação eficiente e respeitosa entre todos os envolvidos.

Isso evita possíveis atritos nas relações que. Se colocar no lugar do outro é, portanto, a forma de compreender como melhor se comunicar.

Seja objetivo e conciso: dicas para fazer um bom despacho

O judiciário, atualmente, trabalha no intuito de cumprir as metas estabelecidas pelo Conselho Nacional de Justiça. Por sua vez, advogados sofrem extrema pressão dos clientes para obter respostas rápidas e andamento em seus processos.

Buscando conciliar ambos os interesses, destacamos algumas das principais dicas oferecidas pelos profissionais da live:

  • Despacho com o magistrado? Apenas para atos realmente necessários;
  • Ao realizar um despacho, tenha organizado todo o conhecimento do processo para explicá-lo e explicar, de forma clara, sua demanda;
  • Saiba o conteúdo de todos os documentos importantes nos autos;
  • Tenha um guia das páginas do processo, a fim de apontar rapidamente as informações necessárias;
  • Se prepare para responder as informações que lhe forem perguntadas.

Fazer um despacho sem conhecimento pleno daquilo que você necessita pode causar atrito na comunicação. Evite dar ao juiz a impressão de que aquela interrupção foi um desperdício de tempo, e trabalhe para garantir a melhor resolução do problema de seu cliente.

Leitura da Unidade: procure o magistrado em horários estratégicos

Você percebeu a necessidade de realizar um despacho com o magistrado e se preparou para isso. Qual o melhor momento para procurar o profissional?

  • Opte por procurar o magistrado nos dias em que ele possuir maior tempo livre e menos audiências marcadas;
  • Faça uma leitura do trabalho da Unidade Jurisdicional: pergunte e se informe!
  • Descubra se existe protocolo de funcionamento daquela unidade - há um dia estabelecido como preferencial para consultas?
  • Busque não apenas o magistrado, mas quem pode resolver seu problema - pode ser que a boa comunicação com estagiários ou servidores da secretaria sejam suficientes para isso!

Não faça pessoalmente o que você pode fazer online

Muitas Unidades têm adotado a boa prática de disponibilizar meios de comunicação online a fim de facilitar o diálogo entre magistrados e advocacia.

Opte por ela sempre que possível.

Há um sentido para adoção dessa prática: quando você vai à Unidade e demanda por uma audiência privada com o Juiz, esse movimento pode causar uma interrupção no fluxo de trabalho do local.

Se foi disponibilizado um serviço tecnológico para realização de atendimentos, isso significa que o profissional responsável irá disponibilizar tempo de dedicação exclusiva para cumprir aquela tarefa. Nesse sentido, provavelmente estará mais apto para atender às demandas com a calma e dedicação necessárias.

É claro que isso não te impede de, caso seja necessário, realizar uma consulta presencial.

Nossa principal dica é de que respeitar o protocolo estabelecido pelas diferentes unidades jurisdicionais é uma boa prática para o sucesso.

Quanto aos magistrados, é interessante que considerem o uso de novas tecnologias como ferramentas de de gestão, a fim de facilitar suas comunicações e melhorar o andamento do trabalho.

Os servidores da secretaria não são para-raios para suas frustrações

Advogados folclóricos são aqueles conhecidos por irem à Secretaria das Unidades Jurisdicionais de forma frequente e desnecessária. É importante lembrar que os servidores da secretaria não estão ali para receber frustrações ou qualquer tipo de desrespeito por parte dos advogados.

  • Priorize a boa educação: trate as pessoas como pessoas.
  • Seja gentil e respeitoso.
  • Lembre-se: muitas vezes, a secretaria é a porta de comunicação que pode te dar dicas valiosas sobre os melhores horários para despachar com os gabinetes, e podem, inclusive, te auxiliar diretamente na resolução de problemas.

Não tenha medo de apontar erros

Todos os profissionais entrevistados confirmaram a importância de apontar erros quando eles ocorrerem. Isso auxilia o magistrado à melhorar a performance de seu trabalho jurisdicional.

O juiz nunca realiza o atendimento de advogados? Há uma demora excessiva para cumprimento de prazos?

Considere os melhores meios de realizar uma cobrança para correção dessa má prática jurisdicional.

Quer se aprofundar nesse assunto?

Para saber mais sobre isso, acompanhe nossas próximas lives, onde também discutiremos as melhores formas de se realizar uma cobrança efetiva de melhor prestação do serviço jurisdicional.

Nosso próximo encontro será daqui a pouco, às 11h, com o Juiz Federal Társis Lima e a Advogada Renata Suñe.

>>> Clique aqui para participar desse debate.

Informações relacionadas

Canal Ciências Criminais, Estudante de Direito
Artigoshá 6 anos

Igualdade entre advogados, magistrados e membros do Ministério Público

Blog do Jusbrasil
Artigosano passado

Guia Prático do Advogado Online: tudo o que você precisa para alcançar a excelência

Blog do Jusbrasil
Artigoshá 4 meses

Conheça os tipos de argumentação jurídica e saiba como elaborar teses com excelência!

Blog do Jusbrasil
Artigoshá 2 anos

Como fazer uma boa petição sob a visão de um Juiz de Direito e ex-advogado

Blog do Jusbrasil
Artigoshá 2 anos

[ebook] Legal Design na Advocacia

4 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

A colaboração entre juiz e advogado é extremamente necessário, entretanto a grande resistência não vem por parte dos advogados. Acredito que ambas as partes tem a aprender, mas vejo muito mais dificuldade por parte dos magistrados, como quando não fixam os honorários do advogado de forma correta, sempre fazendo parecer que o advogado não merece ganhar dinheiro pelo qual trabalhou. continuar lendo

Super pertinente seu comentário, Alice! Uma coisa que percebemos com as iniciativas divulgadas pelas lives é que temos profissionais bem dispostos também na magistratura, que procuram empregar técnicas de gestão e eficiência em seus gabinetes. Esperamos que isso se torne regra, e não uma exceção. continuar lendo

E até difícil aquilatar a importância de uma live como essa, tal a sua amplitude. Desmistificar a relação juiz versus advogado, esse é o ponto, apimentado com um plus de eficiência jurídica dos causídicos. continuar lendo