jusbrasil.com.br
29 de Maio de 2022

Como prospectar clientes na advocacia seguindo o Código de Ética da OAB?

O marketing de conteúdo é uma forma muito criativa de prospectar clientes sem ferir as regras de publicidade da OAB.

Blog do Jusbrasil
Publicado por Blog do Jusbrasil
há 2 anos

Prospectar clientes na advocacia significa agir segundo o Código de Ética da OAB. Existem sim algumas regras para a captação de clientes e isso gera muitas dúvidas na maioria dos advogados. Mas a OAB não só permite como faz isso expressamente no Código de Ética e Disciplina, ao dispor que a publicidade profissional tem caráter meramente informativo e deve primar pela discrição e sobriedade.

Se você pesquisar no Google o significado da palavra prospectar, verá que trata-se de um verbo intransitivo; ser mais visível; sobressair; salientar-se.

Ou seja, para que você consiga atrair clientes para o seu escritório de advocacia, você precisa dar visibilidade aos seus serviços jurídicos.

É tornando público aquilo que você sabe e oferece que as pessoas vão te conhecer, se interessar pelas suas soluções e contratar os seus serviços.

Por isso, não dá para falar de prospecção de clientes sem falar de publicidade na advocacia.

Alguns enxergam as regras de publicidade da OAB como uma restrição rígida e desatualizada, mas por que um advogado iria querer algo diferente da informação, discrição e sobriedade na divulgação dos seus serviços?

É claro que a OAB deixou uma enorme lacuna ao prever que o advogado deve anunciar seus serviços “com discrição e moderação”, mas esse limite, na verdade, se mostra como uma verdadeira oportunidade.

Continue lendo esse texto para entender isso.

O que é proibido pelo Código de Ética da OAB?

Existe uma lista de práticas publicitárias que são proibidas pelo Código de Ética da OAB. Entre elas, estão as formas tradicionais de marketing, como anúncios em televisão, rádio ou outdoors, placas apelativas ou mercantilistas na fachada do escritório, anúncios contendo precificação, etc.

No entanto, pare para pensar: será que a “propaganda” do seu escritório, após a veiculação de um comercial de produto de limpeza na TV, por exemplo, combina com a sua marca pessoal ou imagem profissional?

Utilizando algumas técnicas de marketing e copywriting comuns nos meios televisivos ou radiofônicos, veja como poderia ser um anúncio dos seus serviços jurídicos nesses canais:

“Está passando por problemas conjugais? Seu cônjuge está tentando ficar com todos os seus bens? Entre em contato agora mesmo no telefone abaixo e faça um bom divórcio!”

Por tratar de questões envolvendo o direito das pessoas, muitas delas sigilosas e delicadíssimas, divulgar seus serviços dessa forma pode ser um tiro no pé, inclusive.

É aí que entra a oportunidade de fazer algo bem mais interessante e totalmente permitido pela OAB.

O que é permitido pelo Código de Ética da OAB - e é sua melhor alternativa?

Existe uma forma muito criativa de falar sobre os seus serviços e soluções sem se vender ou sem mercantilizar essa profissão indispensável à administração da justiça.

E, o melhor: você não precisa depender de clientes passando na rua do seu escritório para te conhecerem, muito menos de anúncios pagos em alguma rede social.

Você pode utilizar a internet para mostrar o seu trabalho sem qualquer fronteira geográfica e atrair clientes sem ferir as regras da OAB - ou sem se preocupar com elas.

Estamos falando do marketing de conteúdo jurídico.

De fato, é preciso respeitar os limites de publicidade definidos pela OAB e a forma como deve ser feita a divulgação dos serviços do seu escritório, mas é justamente por isso que o marketing de conteúdo jurídico deve ser visto como a sua maior e melhor alternativa.

Por que fazer marketing de conteúdo jurídico?

Suponhamos que você queira investir o seu dinheiro e fazê-lo render. Dificilmente você aplicará grandes quantias em ações sem conhecer como funciona a bolsa de valores e o mundo dos investimentos, certo?

A melhor decisão nesse momento é pesquisar sobre o assunto e encontrar conteúdos de pessoas que já possuem experiência e estão engajadas nisso, e que vão te explicar quais são os cuidados que você deve ter para começar, de quanto você precisa e até onde investir.

O grande detalhe é que você não precisa contratar uma assessoria de investimentos ou adquirir um curso sobre o assunto logo de cara.

Você pode consumir diversos conteúdos e aprender gratuitamente na internet.

Esses conteúdos gratuitos já são um excelente norte para os seus primeiros passos.

Mas, caso você queira se aprofundar no conhecimento, você poderá entrar em contato com algum expert que você se identificou e contratar seus serviços ou comprar algum produto, como um curso no qual ele te ensina o passo a passo para fazer o seu dinheiro render na bolsa.

Nesse momento, o expert que você acompanhava e consumia conteúdos se tornou o seu professor.

Perceba que esse guru do investimento não "jogou" nenhum anúncio na tela do seu computador.

A jornada foi inversa. Através do conteúdo dele você concluiu que o produto que ele oferecia era a melhor opção para te ajudar a investir.

E o mesmo pode acontecer com o seu escritório de advocacia.

Sem propaganda e sem se vender.

Quando você produz conteúdos que falam sobre algum problema jurídico, explicam as consequências, bem como apresentam uma solução, você entrega algo de valor, e isso gera autoridade para você e confiança nas pessoas.

Ou melhor, nos clientes potenciais.

É como se, explicando as medidas que podem ajudar o cliente a resolver seus problemas e atingir seus objetivos, você mostrasse que ele pode contar com você para isso.

Dificilmente o cliente irá contratar outro advogado ao se identificar com o seu conteúdo e perceber que você é o profissional que ele procurava para resolver seus problemas.

Percebeu como o marketing jurídico é uma maneira muito eficaz de atrair clientes para a sua advocacia sem ferir as regras do Código de Ética da OAB?

Conclusão

Se pararmos para pensar, a informação é a maior e mais pura forma de marketing, e não existe qualquer restrição da OAB quanto a isso.

Na verdade, fornecer informações jurídicas relevantes à sociedade é um dever dos operadores do Direito.

Milhares de pessoas estão circulando todos os dias na internet buscando informações para seus problemas jurídico.

O Jusbrasil é um espaço onde essas pessoas são recebidas e as informações que elas procuram são compartilhadas.

Você pode ser encontrado produzindo conteúdos, e o próprio Jusbrasil está abrindo as portas para te ensinar como fazer isso.

Quer saber mais sobre o assunto?

O marketing jurídico é um tema realmente complexo. São dúvidas em relação a como fazer de maneira eficiente, quais canais usar, como conduzir uma conversa com um potencial cliente e muito mais. Além disso tudo, advogados ainda têm que se manter atualizado em relação às restrições da OAB, para não arriscar um processo no Tribunal de Ética de sua seccional.

Pensando nisso, o Jusbrasil resolveu organizar todos esses tópicos em um curso online gratuito chamado "Marketing na advocacia e atração de clientes". O curso faz parte do Jusbrasil Academy e traz desde os conceitos mais básicos do marketing jurídico até temas sofisticados para refinar suas técnicas na prática.

>>> Clique aqui para garantir sua presença no curso



Texto de Pedro Custódio

Informações relacionadas

Blog do Jusbrasil
Artigoshá 2 anos

Marketing de conteúdo jurídico: como começar agora e não parar?

Blog do Jusbrasil
Artigoshá 2 anos

Marketing Jurídico: ações eficazes para esse período de isolamento

João Leandro Longo, Advogado
Modeloshá 3 anos

[Modelo] Ficha de Entrevista Previdenciária Completa!

SAJ ADV - Software Jurídico, Redator de Textos Técnicos
Artigoshá 5 anos

Como prospectar clientes na advocacia em 5 dicas exclusivas

Blog do Jusbrasil
Artigoshá 2 anos

Advocacia virtual: saiba como atrair e conquistar clientes online

Bia Coutinho, Advogado
Artigoshá 10 meses

Breves Comentários à Lei do Superendividamento (Lei nº 14.181/2021)

10 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

A teoria é linda, na prática um desastre. O Código de Ética da OAB, tal qual a própria entidade estão ultrapassados. Até a Lei 8906/94 (sem regulamentação pelo presidente, logo é ilegal...) está mofada. Tais disposições são de antes do advento da internet, não havia Blog, sites, redes sociais, comunicações de aplicativos, etc., logo, muita coisa mudou e a OAB não se atualizou, prefere viver no passado. Tudo isso só serve para aquele advogado da década de 90 do século passado. Aí fica perfeito. Fizeram uma audiência pública sobre publicidade na advocacia, na sede da OAB/SC, com integrantes do Conselho Federal da OAB, e o resultado foi um desastre. É preciso rever isso com bom senso e responsabilidade, a própria OAB precisa de reinventar e não querer viver só de anuidade (que cobra acima do que a Lei 12.514/2011 permite). continuar lendo

Estava pensando em fazer o tcc nisso, indica algumas obras Dr? continuar lendo

Olá João Pedro de Aguiar Ferreira, infelizmente não... Mas se analisar a lei 8906/94 ela NÃO FOI REGULAMENTADA pelo presidente da república com manda a Constituição Federal. Foi feita uma lei que delegou ao Conselho Federal da OAB a regulamentação, quanto é competência exclusiva do presidente regulamentar. Isso é uma vergonha, por falta de regulamentação, legalmente a OAB não existe. E cadê juiz e desembargador com coração pra dizer isso...?? Cadê??? continuar lendo

Sou recém formado e graças aos artigos publicados no jusbrasil estou cheio de processos. Sempre aparece algum leitor que se transforma em cliente. ;) continuar lendo

Perfeito, parabenizo o pela excelência da informação/artigo! continuar lendo

Que bom que gostou, @leinad367consultorias!

Fica o convite para continuar acompanhando os nossos conteúdos :)

Se gostou desse artigo, acredito que vai gostar também desse infográfico aqui que demonstra alguns dos resultados que você pode obter com marketing jurídico: https://conteudo.jusbrasil.com.br/lp-infografico-7-resultados-marketing-jurídico continuar lendo

O artigo está excelente. Uma pena que não esteja conseguindo me inscrever no curso de Marketing. Sempre acusa erro de envio. continuar lendo

Olá, @laribsm, tudo bom?

Você ainda está com problemas para acessar o curso? Lembre-se que o seu CPF (sem pontuação) será sua senha para acessar as aulas posteriormente, e por isso deve ser inserido corretamente. continuar lendo

Caros,
Boa tarde!
Vossa empresa expõe meu nome associado a processos judiciais e eu não sou a pessoa relacionada a estas informações públicas.
Porém, a maneira como está evidenciado por vossa empresa no Google difama meu nome, o que tem me causado transtornos e me deixando inconformado.
Sendo assim, solicito a retirada ou inativação do respectivo link que faz menção ao meu nome de maneira equivocada:
Estou fazendo contatos com a empresa para resolução ou para que uma previsão de resolução seja informada.
Obrigado! continuar lendo